plano de saúde cobre cirurgia plástica

Plano de Saúde cobra cirurgia plástica?

Plano de Saúde cobre cirurgia plástica? Há uma grande dúvida atualmente na hora de se tomar algumas decisões relacionadas a questões estéticas, e, uma delas é se o plano de saúde cobre cirurgia plástica.

Está sem tempo de ler agora? Que tal ouvir o artigo? Experimente no player!

Isso porque no Brasil são altos os índices de procura por esse tipo de procedimento, sendo por isso considerado o segundo país do mundo a realizá-lo.

Portanto, acaba sendo também considerável o número de pessoas que tem se perguntado se o plano de saúde cobre cirurgia plástica. Pensando nisso, resolvemos falar um pouco melhor sobre o assunto e tirar as suas principais dúvidas.

    Seu plano de saúde sofreu reajuste e ficou muito caro? O Blog Saúde te ajuda a reduzir custos! Tenha acesso aos melhores médicos, hospitais e clínicas do país! Registre-se agora!



    A grande dúvida: plano de saúde cobre cirurgia plástica?

    plano de saúde cobre cirurgia plástica

    Antes de qualquer coisa, quando você decide optar por um plano de saúde é necessário que um contrato seja assinado entre ambas as partes, certo? Pois bem, antes de aderir ao plano você deve ler esse contrato por completo.

    É nele que está explícito quais são os procedimentos cobertos e se o plano cobre por completo ou apenas uma parte. Portanto, antes de contratar o plano de saúde leia todas as cláusulas com bastante atenção.

    Há algumas situações em que o plano de saúde cobre a cirurgia plástica, mas são casos específicos. Portanto, fique atento para saber quais são os pré-requisitos para que haja efetivamente essa cobertura.

    Em que situações o plano de saúde cobre cirurgia plástica?

    Segundo a Agência Nacional de Saúde – ANS, não há nenhuma obrigatoriedade em relação à realização de procedimentos estéticos, como cirurgias plásticas, por exemplo.

    Porém, há uma lei que atua nesse sentido em casos específicos. A Lei 9.656/98 ressalta alguns casos em que o paciente tem direito à cobertura do plano de saúde no caso de cirurgia plástica. São eles:

    • Retirada de pele após cirurgia bariátrica, pois esse tipo de problema pode prejudicar a vida cotidiana do usuário e comprometer também a saúde.;

    • A cirurgia de redução de estômago ou bariátrica, pois a obesidade é considerada um risco à saúde do paciente e precisa ser tratada;

    • Reconstrução da mama para mulheres que fizeram mastectomia. Nos casos de usuários que sofram com tumores, de um modo geral, tenham passado por lesões traumáticas e em casos de câncer de mama o procedimento também deve ser coberto.

    Vale ressaltar que a mama não afetada também pode ser incluída na cobertura do procedimento;

    • Blefaroplastia, cirurgia cujo objetivo é fazer o levantamento de pálpebras e eliminar as indesejadas bolsas de gordura, pode também estar incluída na cobertura do plano, mas apenas quando houver indicação clínica.

    Vale ressaltar que, como é um caso mais específico, é preciso entrar com um processo solicitando o procedimento, mas ainda caberá ao plano de saúde fazer a sua avaliação sobre o caso;

    • No caso de órteses, próteses, acessórios ligados ao ato cirúrgico e que não possuam nenhuma finalidade estética a cobertura também deve ser liberada.

    Porém, mesmo com a legislação e suas especificidades é importante observar que cada plano de saúde tem seu regimento e trabalha de maneira diferente.

    Não é necessariamente que haverá um descumprimento da lei, mas você pode ter algumas dores de cabeça a mais quando o assunto for conseguir a autorização e cobertura total para determinados procedimentos.

    Infelizmente algumas operadoras de plano podem agir de má fé, portanto, mais um motivo para você escolher bem a sua e pesquisar bastante, além de ler minuciosamente o contrato antes de aderir ao plano.

    Fazer uma cirurgia plástica – a grande questão

    Cada pessoa tem suas particularidades quando o assunto é a estética. Por isso essa discussão para saber se o plano de saúde cobre cirurgia plástica. Quando o objetivo envolve outras questões é preciso observar se a insatisfação com a aparência tem causado transtornos que comprometam a saúde mental.

    Portanto, é importante que cada caso seja analisado especificamente. Muitas vezes cabe à operadora um pouco de flexibilidade, assim como cabe ao usuário ficar atento sobre que tipo de serviço ele realmente contratou.

    Gostou do texto? Deixa aqui seu comentário!