Como fazer cirurgia bariátrica pelo plano de saúde?

0
303
bariátrica pelo plano de saúde

Como fazer cirurgia bariátrica pelo plano de saúde?

Quando a obesidade atinge um nível que compromete a saúde de alguém, e realizar exercícios físicos regulando a alimentação já não resolve o problema, a bariátrica pode ser a saída. Mas, como fazer a cirurgia bariátrica pelo plano de saúde?

Está sem tempo de ler agora? Que tal ouvir o artigo? Experimente no player!

Pois bem, o Conselho Federal de Medicina (CFM), juntamente com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), reconhece a bariátrica como auxilio no tratamento da obesidade, bem como doenças relacionadas.

Inclusive, a ANS possui um Rol de Procedimentos em que consta a cirurgia bariátrica como prevista entre os serviços coberto pelo plano de saúde.

Seu plano de saúde sofreu reajuste e ficou muito caro? O Blog Saúde te ajuda a reduzir custos! Tenha acesso aos melhores médicos, hospitais e clínicas do país! Registre-se agora!



Dessa forma, se você pensa em fazer uma cirurgia bariátrica pelo plano de saúde e deseja saber mais sobre o assunto, confira o texto a seguir.

bariátrica pelo plano de saúde

Afinal, como fazer cirurgia bariátrica pelo plano de saúde?

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) é responsável por regulamentar os serviços das operadoras de saúde do Brasil, e trabalha em conjunto com o ministério da saúde.

Dessa forma, a ANS determina algumas regras que as seguradoras devem cumprir ao fornecer planos de saúde. É uma maneira de deixar tudo conforme a lei tanto para as empresas quanto para os clientes.

O Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde é estabelecido pela ANS e nele, consta uma lista dos procedimentos, exames, tratamentos, bem como o tempo de cobertura obrigatória pelos planos de saúde.

Portanto, antes de contratar um plano de saúde para realizar uma cirurgia bariátrica, por exemplo, ou qualquer outro procedimento, é importante conferir também o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde.

Normatização dos órgãos competentes para a cirurgia bariátrica

Conforme citado anteriormente, os órgãos competentes da saúde entendem da necessidade da cirurgia bariátrica no combate a uma das doenças que mais afetam os brasileiros, a obesidade.

Uma série de fatores desencadeia antes, durante e depois da obesidade no funcionamento do nosso organismo. Vale ressaltar que, a obesidade não tem nada a ver com gula, preguiça, ou falta de força de vontade.

A obesidade é muito mais complexa do que possamos imaginar, e pensando dessa maneira que o Conselho Federal de Medicina (CFM), juntamente com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), estabeleceu algumas normas do tratamento por cirurgia para planos de saúde.

Entre as normas, está determinada a legalidade da cirurgia bariátrica como tratamento para a obesidade mórbida e a avaliação da Câmara Técnica sobre Cirurgia Bariátrica para Tratamento de Obesidade Mórbida.

Além disso, pacientes indicados à cirurgia, assim como os seus familiares devem está a par dos possíveis riscos da cirurgia.

Quais as indicações para fazer a cirurgia bariátrica pelo plano de saúde?

O paciente é indicado a fazer a cirurgia bariátrica, ou melhor, gastroplastia, quando o Índice de Massa Corpórea (IMC), passar de 40 kg/m2.

For maior de 18 anos, ser comprovada a obesidade ou doenças agravadas pela obesidade, além de realizar antes um tratamento prévio de dois anos antes da cirurgia e preencher outros requisitos solicitados.

A ANS orienta que as operadoras de planos de saúde disponibilizem o tempo de cobertura mínima obrigatória para os beneficiários que se enquadram nesses requisitos.

Dessa forma, ao contratar o plano de saúde certifique-se se a operadora obedece às normas dos órgãos competentes para a realização da cirurgia, pois está previsto em lei.

Assim, é direito do beneficiário contar com a cobertura da cirurgia gastroplastia como tratamento da obesidade mórbida, sem pagar nenhuma taxa ou mensalidade extra.

Contudo, esses foram os esclarecimentos a respeito de como fazer cirurgia bariátrica pelo plano de saúde. É um direito dos pacientes, também da rede particular, de garantir soluções que melhorem e prolongue a qualidade de vida do beneficiário.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Faça o seu comentário!
Digite seu Nome